sábado, 12 de julho de 2008

oficial no Estado o Hino à Negritude

Torna oficial no Estado o Hino à Negritude. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes,decretou e eu, em seu nome, promulgo a seguinte Lei: Art. 1º Fica oficializado no Estado o Hino à Negritude, deautoria do Professor Eduardo de Oliveira, registrado sob o nº137, a fls. 74 do Livro 17, na Escola Nacional de Música daUniversidade Federal do Rio de Janeiro, e com letra constante noAnexo desta Lei. Parágrafo único. O Hino à Negritude deverá ser entoado nassolenidades oficiais relacionadas com a raça negra. Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, aos 10 de julho de2008; 220º da Inconfidência Mineira e 187º da Independência doBrasil. AÉCIO NEVES Danilo de Castro Renata Maria Paes de Vilhena Maria Eleonora Barroso Santa Rosa Simão Cirineu Dias ANEXO (a que se refere o art. 1º da Lei nº 17.626, de 10 de julhode 2008) Hino à Negritude (Cântico à Africanidade Brasileira) Letra e música: Professor Eduardo de Oliveira Sob o céu cor de anil das Américas Hoje se ergue um soberbo perfil. É u'a imagem de luz Que, em verdade, traduz A história do negro no Brasil. Este povo, em passadas intrépidas, Entre os povos valentes se impôs! Com a fúria dos leões Rebentando grilhões Aos tiranos se contrapôs! Bis Ergue a tocha no alto da glória Quem herói nos combates se fez, Pois que as páginas da História São galardões aos negros de altivez! (Refrão) II Levantando no topo dos séculos, Mil batalhões viris sustentou Este povo imortal Que não encontra rival, Na trilha que o amor lhe destinou. Belo e forte, na tez cor de ébano, Só lutando se sente feliz. Brasileiro de escol Luta de sol a sol Para o bem de nosso País. Bis Ergue a tocha no alto da glória Quem herói nos combates se fez, Pois que as páginas da História São galardões aos negros de altivez! (Refrão) III Dos Palmares, os feitos históricos São exemplos da eterna lição Que, no solo tupi, Nos legara Zumbi, Sonhando com a libertação. Sendo filhos também da mãe África, Aruanda dos Deuses da Paz. No Brasil, este axé Que nos mantém de pé Vem da força dos Orixás. Bis Ergue a tocha no alto da glória Quem herói nos combates se fez, Pois que as páginas da História São galardões aos negros de altivez! (Refrão) IV Que saibamos guardar estes símbolos De um passado de heróico labor. Todos numa só voz, Bradam nossos avós: Viver é lutar com destemor! Para frente marchamos impávidos Que a vitória nos há de sorrir. Cidadãs, cidadãos, Somos todos irmãos Conquistando o melhor porvir! Bis Ergue a tocha no alto da glória Quem herói nos combates se fez, Pois que as páginas da História São galardões aos negros de altivez! (Refrão)FONTE: www.almg.gov.br

Um comentário:

Ranier disse...

Senhores (as)
Sou Professor de História da Rede Pública Estadual e gostaria de trabalhar o Hino à Negritude em sala de aula. Para isso gostaria de adquirir o cd com a letra e a música. Poderiam me ajudar a adquirir a obra me informando onde posso achá-la?
Muito obrigado.


Ranier José Ribeiro